O 1º Vice-Presidente da Assembleia da República, Hélder Ernesto Injojo, exortou, fim-de-semana último, em Maputo, aos membros do Gabinete da Juventude Parlamentar﴾GJP﴿ a se envolver mais na intensificação de mensagens de desencorajamento dos jovens a não aderirem a guerra e reforçar a vigilância comunitária visando a neutralização dos protagonistas dos aliciamentos, com falsas promessas de emprego, aproveitando-se da vulnerabilidade dos jovens que não poucas vezes persuadem a envolver-se em acções que desestabilizam e comprometem a paz e unidade nacional.

Falando na abertura do II Fórum do GJP, Injojo reiterou o comprometimento do Parlamento moçambicano de apoio às acções deste Gabinete com vista a construção da África sonhada na Agenda 2063, “a África que queremos, bem como do alcance aos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável”.

“As oportunidades para o crescimento ou desenvolvimento económico para o nosso país estão disponíveis. Por isso, se afigura pertinente que todos, e cada um de nós, busquemos formas criativas de capitalização, em busca da viabilização e maximização do acesso a estas janelas de oportunidades, contando com ‘umbrela’  dos pilares estratégicos da Politica Nacional da Juventude com dinamismo, perseverança, irreverência e espírito de liderança que sempre caracterizaram a juventude em todos os tempos”, disse o 1º Vice-Presidente, sublinhando que “a realização do II Fórum do GJP constitui uma oportunidade ímpar de interacção para que se possa construir consensos na busca de soluções para os mais nobres interesses da juventude moçambicana”.

Para o deputado Injojo, tendo em conta o caminho percorrido pelo parlamento na advocacia da promoção da juventude, “motiva-nos a continuar, com confiança, a trabalhar por um Moçambique cada vez mais justo e próspero, em que deve prevalecer o primado dos direitos e liberdades do cidadão e da juventude, em particular, uma situação que passa necessariamente por se fazer um debate que tende a aproximar ideias, experiências e vivências e busca de consensos visto que os problemas da juventude são comuns”.

O 1º Vice-Presidente da Assembleia da República saudou os esforços do Governo em criar mecanismos e iniciativas que visem dar mais dignidade a juventude moçambicana com destaque para a aprovação de fundos reembolsáveis de promoção e inovação em empreendedorismo juvenil por via de parcerias público-privados como são os casos dos Fundos de Iniciativa Juvenil (FAIJ), e de Desenvolvimento Distrital ﴾FDD﴿, bem como o Sustenta para o financiamento dos projectos da juventude com enfoque para as áreas de agricultura, avicultura, carpintaria, entre outras.

“Todavia, afigura-se importante a descentralização e fiscalização daqueles fundos, primando pela simplificação dos procedimentos administrativos, com vista a abranger o maior número possível de beneficiários garantindo, desta forma, a desejável empregabilidade dos jovens”, observou o 1º Vice-Presidente da Assembleia da República para quem no domínio da educação “é notória a aposta no ensino profissionalizante que continua a impulsionar o crescimento da nação, através de conhecimentos científicos e de valores morais defensáveis para a sociedade, nesta caminhada rumo a prosperidade em que precisamos de jovens que dominam essa dinâmicas”.   

O 1º Vice-Presidente mostrou-se preocupado com o consumo de drogas e álcool por parte da juventude, considerando que estas práticas são um dos maiores flagelos da população jovem moçambicana, o que compromete os esforços investidos na formação do capital humano, tao necessário para o desenvolvimento do país.

Por sua vez, o Secretario do Estado para a Juventude e Emprego, Osvaldo Petersburgo, sublinhou que a juventude parlamentar tem uma responsabilidade acrescida, pois quando pensa e age o faz em nome da população jovem estimada em 35 por cento do universo do Pais.

“A Política Nacional da Juventude aprovada por esta magna Casa do Povo por unanimidade é prova inequívoca do reconhecimento dos marcos dos jovens na edificação da nação moçambicana”, disse Petersburgo, salientando que “os jovens não se coíbem perante desafios e adversidades, pelo contrário encontram oportunidades, mercê das suas características próprias de criatividade inovação e empreendedorismo.

Para o Secretario do Estado da Juventude e Emprego, a sua presença neste fórum alegra-o pelo facto de este abordar temas cujo impacto é a melhoria da saúde sexual e reprodutiva e a problemática das uniões prematuras dos adolescentes e jovens no território nacional.

A abordagem destes temas, segundo Petersburgo, é uma ponte segura de busca de soluções para o desenvolvimento, pois Moçambique segundo dados do censo de 2017 tem uma população de 27.909.798 habitantes, o que representou um crescimento em 35 por cento comparado com os últimos dados de 2007. Os dados indicam nos que a população economicamente activa reduziu de 69, 2 por cento para 57,6 porcento em 2017, “prova inequívoca de que as gravidezes precoces e as uniões prematuras em Moçambique prejudicam o crescimento da economia, pois este é o tempo de agir”.   

A Presidente do GJP, Olívia Matavele, sublinhou, na ocasião, que o II Fórum do Gabinete que dirige abordou, dentre vários, temas sobre a educação sexual abrangente, os direitos sexuais e reprodutivos para adolescentes e jovens, a problemática de uniões prematuras em Moçambique no que concerne ao avanços, desafios e perspectivas, bem como sobre população e desenvolvimento concretamente sobre janela de oportunidades para o desenvolvimento através do investimento na juventude, para além de ter apreciado o relatório de actividades do Gabinete da Juventude Parlamentar do ano 2020. 

“Este Fórum constituiu um momento de reflexão para que os jovens deputados tenham ferramentas suficientes e conhecimentos que os possibilitem interagir com os outros jovens de uma forma mais clara, bem como para prestar serviços de qualidade ao cidadão”, disse Matavele que enalteceu a entrega, participação activa dos seus pares para que o evento atinge os objectivos preconizados.

Participaram do evento diversos deputados membro do GJP, as Direcções do Gabinete da Mulher Parlamentar e da Comissão dos Assuntos Sociais, do Género, Tecnológica e Comunicação Social, da Administração Pública e Poder Local, bem como Organizações da Sociedade Civil e parceiros de cooperação como são os casos do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP) e a Associação Moçambicana para o Desenvolvimento da Família (AMODEFA).

SECRETARIADO GERAL
____________________________
CONHEÇA...
_______________________
COMISSÕES DE TRABALHO
____________________________
CÍRCULOS ELEITORAIS
_________________________
 
________________
Estrutura Orgânica Parlamentos do Mundo 1ª Comissão - CAC,DHL Maputo Província
Conselho Consultivo Outras Ligações 2ª Comissão - CPO Maputo Cidade
UEEFO   3ª Comissão - CAS,GTC Gaza
    4ª Comissão - CAPPL Inhambane
____________________________   5ª Comissão - CA,EA Manica
BANCADAS PARLAMENTARES   6ª Comissão - CD;SOP Sofala
FRELIMO   7ª Comissão - CRI,CC Tete
RENAMO   8ª Comissão - CP,QR Zambézia
MDM   9ª Comissão - CEP Nampula
      Niassa
      Cabo Delgado